24/2/2014 

 Projeto incentiva o resgate de histórias orais e contos regionais 

 

Após grande procura pela oficina Leitura e Oralidade realizada no final do ano passado, o projeto Jornada da Leitura abriu mais 100 vagas para mais uma oficina online gratuita. O Jornada da Leitura é uma iniciativa do programa Escola Ideal, do Instituto Camargo Corrêa, cujo foco é contribuir para a melhoria da qualidade da educação em escolas públicas de ensino fundamental. A inscrição é gratuita e feita através do www.jornadadaleitura.org.br, site do projeto onde também são realizadas as atividades da oficina.

 

A oficina que inicia no dia 10 de março e termina em 12 de maio está dividida em três etapas, nas quais serão realizadas atividades interativas e direcionadas por mediadoras-formadoras do Cenpec – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária, organização parceira do programa Escola Ideal. Os participantes, professores e educadores de escolas de diversos estados brasileiros, serão estimulados a formar grupos voltados para a leitura e pesquisa de textos da tradição oral de suas comunidades. Todos os participantes que atingirem uma frequência satisfatória e entregarem o trabalho de conclusão recebem um certificado de até 72 horas.

 

Durante o percurso de aprendizagem, contos de diferentes regiões brasileiras são apresentados e servem de base para a reflexão. “Os participantes irão refletir sobre algumas questões como a importância da história oral, o que essas histórias revelam sobre a nossa identidade e como os contos de tradição oral podem ser utilizados para a formação de leitores”, explica a Maria Cecília Felix de Godoy, coordenadora do projeto no Cenpec. Para isso, eles participam de discussões via fórum, compartilham suas opiniões e também relatam contos e ‘causos orais’. E por fim, são orientados a registrar e produzir uma coletânea de histórias de tradição oral de sua comunidade.

 

Com a primeira oficina Leitura e Oralidade, realizada entre setembro e dezembro de 2013, foram coletadas 33 histórias em formatos de textos, áudios e vídeos. As histórias coletadas serão publicadas em um livro previsto para o segundo semestre de 2014. “Foi uma grande alegria coletar os ‘causos’ da tradição oral da minha cidade. Eu sempre ouvi essas histórias desde pequena contadas por meus avós, que são grandes contadores de histórias. Divulgar essas histórias, que são passadas de pais para filhos, é uma maneira de valorizar a cultura popular” afirma Erica Regina Morais, professora da cidade de Pedro Leopoldo-MG e participante da primeira oficina.

 

A professora Elivane Barbosa Luiz, de Guarabira-PB, contou que os seus alunos levaram tantas histórias que a professora organizou visitas na comunidade. “As pessoas ficaram envaidecidas. O Monstro do Agreste foi a história que mais se destacou. Ela foi contada durante uma roda de leitura por um morador bastante conhecido no bairro chamado Batista. Ele se empolgou tanto que a roda foi encerrada com o som da sua viola. Dona Maria, avó de uma aluna do 5º ano, contou sobre o encontro do seu avô com a comadre Fulosinha e dos nós nos rabos dos cavalos, enfim histórias da região”, relatou Elivane.

 



Imprimir


Acompanhar notícias (rss)