27/2/2012 

 Projeto Barra do Ceará dá os primeiros passos em Fortaleza 

 

Neste mês, representantes de diversos setores da comunidade de Barra do Ceará começaram a se articular para discutir as primeiras ações dentro do projeto que visa enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes do bairro, em Fortaleza (CE).  Com o objetivo de reduzir a vulnerabilidade de jovens da região à exploração sexual, o projeto Barra do Ceará, do Instituto Camargo Corrêa realizado em parceria com o Instituto Aliança, vai mobilizar diversos setores da comunidade local para a elaboração de ações educativas e preventivas nas instituições do bairro de Fortaleza. A ação também conta com a parceria da prefeitura de Fortaleza e das secretarias municipais de Direitos Humanos, Assistência Social, Educação e de Saúde.

 

Semana passada, entre os dias 13 e 16 de fevereiro, foi realizada a primeira rodada de reuniões. Para começar, o projeto reuniu representantes de todos os setores: Educação, Saúde, Assistência Social, Secretaria Executiva Regional, Conselho Tutelar, Ouvidoria da Prefeitura, ONGs locais e da coordenação do projeto Vila do Mar, uma grande obra de urbanização em andamento na região da qual a construtora Camargo Corrêa participa.

 

Neste encontro, foi validada junto ao Comitê de Desenvolvimento Comunitário (CDC) de Fortaleza a proposta do projeto. Estiveram presentes aproximadamente 25 pessoas. Márcia Campos, do Instituto Aliança, conta que o CDC, grupo de organizações locais e de representantes do Grupo Camargo Corrêa formado a partir da implementação do programa Infância Ideal na região, participará de todas as ações previstas e será a base da articulação entre as instituições.

 

Na sequência, o Instituto Aliança começou a fazer reuniões individuais para apresentar o projeto para gestores das secretarias. O objetivo é construir um acordo em relação às estratégias e resultados a serem alcançados e levantar dados e informações sobre as vulnerabilidades presentes no bairro. Estas etapas seguem em andamento.

 

O secretário de Direitos Humanos, Demitri Cruz, mostrou-se bastante receptivo ao projeto e ofereceu-se para fazer a articulação com a Secretaria de Assistência Social, com o Fórum de Enfrentamento da Violência Sexual Infanto-Juvenil e com o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Condica), ressalta Márcia.

 

A próxima ação será no período de 20 a 23 de março e buscará sensibilizar gestores das instituições (escolas, unidades de saúde, unidades de assistência social, ONGs e conselhos) que irão participar mais diretamente do projeto e fazer as inscrições para o curso de Formação Básica. Andrea Righi, do Instituto Aliança, será a responsável pela coordenação técnica das ações.



Imprimir


Acompanhar notícias (rss)